By Alessandra Tavares

Inovação: como ela transformou as empresas e a gestão de pessoas

Pensando nas mudanças que aconteceram nos últimos tempos, a inovação proporcionou uma grande evolução no modo de trabalhar. Antes havia o processo de agricultura, no qual não era necessária muita gestão nem hierarquização formal, afinal era uma estrutura de trabalho familiar. Eles dependiam do clima e seguiam à risca a premissa de que “manda quem pode, obedece quem tem juízo”.  

Em seguida, aconteceu a Revolução Industrial, a qual fez os trabalhadores rurais abandonarem a agricultura e migrarem para trabalhos nas indústrias da cidade. Com isso, o desafio passou a ser o que fazer para que pessoas de famílias diferentes, motivações diferentes, pudessem trabalhar juntas para produzir. Nesta época, surgiram os sindicatos, para dar ordem e representatividade a esses trabalhadores. Com a revolução industrial, começou a corrida pelo melhor maquinário. Sairia na frente a empresa que tivesse os melhores equipamentos. Quando os concorrentes conseguiram os mesmos equipamentos e os resultados continuavam visivelmente diferentes, percebeu-se que o diferencial era quem os operava. 

A era dos computadores é um outro bom retrato desse cenário da visão de pessoas como diferencial da empresa. Com o tempo, a informação passou a se tornar cada vez mais disponível, o que passou a ditar a competitividade do mercado. Porém, com a era da informação crescendo, houve uma democratização dessa informação, que parou de ser vista como um diferencial.   

A diferença passou a ser, então, o que as pessoas faziam com a informação que possuíam. A atenção se voltou a essas mentes pensantes, ao capital humano cuja produção é maior por menos custo. O colaborador virou, então, o grande alvo e diferencial competitivo das empresas.  

Como a atenção se voltou para as pessoas, o RH teve que se reinventar, afinal, ter e manter os melhores colaboradores passou a ser o diferencial competitivo. E, para este novo desafio, era preciso fazer mais do que seguir as leis. O trabalho tinha que ser encantador, porque as motivações também mudaram com o passar das gerações.  

Antigamente, o nível de obediência era maior. Hoje, cada vez mais aumenta o desejo de que o colaborador vista a camisa da empresa, não que ele só cumpra o contrato, mas que ele se dedique de verdade. Isso está ficando cada dia mais difícil, porque as novas gerações não trabalham mais por estabilidade, elas buscam um propósito. Vendo isso, as empresas entenderam que precisam alinhar o propósito que possuem ao do colaborador, se quiser que ele fique lá por bastante tempo. 

Isso mudou, também, a forma de treinar os colaboradores. Antes os treinamentos eram mais simples e técnicos. Hoje, não basta ter só a melhor mão-de-obra, é preciso faze-la pensar no presente e no futuro. Para que o colaborador fique lá por mais tempo e vista a camisa como desejado, o treinamento passa a trabalhar questões psicológicas e motivacionais, que no passado eram irrelevantes. A ideia, então, não é mais apenas adquirir mais conhecimento e absorver informação, é aplica-la de uma forma diferente que gere mais resultado. É que é feito com essa informação.  

Para todas essas mudanças aconteceram, o RH precisou de inovação! Antes essa era uma área que mal tinha sistema. Mas hoje, como se tornar estratégico sem números? Por isso, vários sistemas foram implementados, pensando do início ao fim do processo de gestão de pessoas. Os sistemas ERPs (Enterprise Resource Planning) ajudam a demonstrar o impacto das ações de RH dentro dos resultados gerados na empresa. 

Com tudo isso, o RH passou a treinar os colaboradores e prepara-los para o futuro da empresa, do qual a única certeza é de que ele terá problemas complexos para serrem resolvidos. Destaca-se, portanto, a empresa que se prepara para conseguir emergir nesse futuro incerto e conseguir pensar em soluções para esses problemas ainda desconhecidos. 

A inovação é mais fácil do que parece… Já é hora!  

By Alessandra Tavares

Organização no trabalho: o que ela pode dizer sobre você?

Muitas pessoas passam mais tempo no trabalho do que em casa, não é? Essa realidade está se tornando cada vez mais comum. Com isso, o ambiente profissional ganha a personalidade de quem trabalha lá, portanto, a organização no trabalho acaba dizendo mais sobre a pessoa do que ela imagina. 

Como dito no conteúdo Ambiente de trabalho: como ele pode influenciar na produtividade, o local realmente influencia na rotina, e dentro disso está inclusa a organização.  

Mas antes, o que é um ambiente organizado?  É aquele em que o profissional consegue encontrar tudo que precisa sem grandes dificuldades, se sentindo confortável e, de alguma forma “em casa”. 

Agora que você já sabe melhor sobre o que estamos falando, eu te desafio a refletir: o que a sua organização no ambiente de trabalho está dizendo sobre você? Como ter, manter ou melhorar essa organização? Aqui estão algumas dicas: 

O que sua mesa diz sobre você: 

Pilhas de papéis e livros espalhados 

Pode dar a impressão de desleixo, falta de habilidade e de organização. 

#dica: pastas e organizadores de mesa são uma ótima alternativa para guardar os papéis.

Bichos de enfeite, plantas ou acessórios infantis  

Pode representar uma personalidade sensível que, muitas vezes, pode ser confundida com imaturidade. Isso pode prejudicar sua carreira caso queira passar confiança para subir de cargo, por exemplo. 

#dica: objetos que representam sua personalidade são bons para você se sentir bem, mas prefira apenas um, não muitos, de preferência com uma conotação menos infantilizada.  

Porta-retratos com fotos pessoais ou em festas  

Pode revelar exibicionismo, uma pessoa que só pensa em diversão e não leva muitas coisas a sério.  

#dica: porta-retratos são bons acessórios para sua mesa, mas prefira fotos mais discretas. 


Mesa vazia  

Pode dar a impressão de que você não tem vínculos profundos e não se apropriou do seu ambiente de trabalho, não pretende permanecer lá por muito tempo. 

#dica: deixe a mesa com a sua personalidade, mas sem exageros e com cuidado para não transmitir a mensagem errada. 

É importante lembrar que a sua organização precisa ser coerente com a cultura organizacional (o que é permito ou não pela sua empresa), e acima de tudo, ser funcional. Deixar de fácil acesso o que é primordial, arquivar em pastas o que não é de uso imediato. Além disso, ela deve transmitir quem você é e o que deseja para seu futuro dentro da empresa. Tudo deve ser pensado levando em conta o ambiente em que você trabalha, o tipo de equipe, de segmento etc… Algumas coisas se encaixam em alguns ambientes e outras, não.  

Tente fazer uma autoavaliação e com as suas conclusões, faça um plano de ação. 

Vamos lá?   

By Alessandra Tavares

Andragogia: o que é e como ela pode ajudar sua empresa

Afinal, o que é andragogia? É a ciência que estuda como os adultos aprendem – andros (adultos); gogos (educar). A técnica foi criada em 1833, por Alexander Kapp, mas foi difundida por Malcolm Knowles, apenas em 1970.

Parte-se do princípio de que os adultos aprendem de uma maneira diferente das crianças, porque eles já possuem um conceito formado anteriormente. Diferentemente da pedagogia, na andragogia há uma troca e o facilitador não ensina, ele facilita a conexão dos conceitos. Assim as chances de o indivíduo colocar o aprendizado em prática são muito maiores. Devido a isso, a técnica é muito usada no meio corporativo, através de treinamentos. Neste caso, o participante sai do papel passivo e entra no papel ativo, se tornando protagonista do próprio aprendizado.

O objetivo desses treinamentos é conseguir alguma mudança de comportamento. Mas vale ressaltar que a técnica não serve apenas para treinamentos comportamentais, funciona também para os técnicos. Ao incentivar o participante a pensar, interagir, trazer a experiência para ele, ele começa a perceber que o ensinamento colocado vai ajudá-lo a resolver problemas do dia a dia. Com isso, existe uma propensão muito maior de que ele se aproprie daquele conhecimento e faça uso na rotina.

As empresas que não fazem uso da andragogia, acabam fazendo treinamentos pouco funcionais, que são muito técnicos e difíceis de absorver, ou não exploram a conexão com o dia a dia. Estes treinamentos não geram muito retorno em termos de resultados, além de consumirem tempo e, muitas vezes, demandarem um investimento financeiro.


Isso não acontece apenas no ramo profissional, mas sim no educacional também. A andragogia não é muito utilizada como metodologia de ensino no Brasil em cursos de graduação e pós-graduação, por exemplo. Geralmente é usado o ensino pedagógico (voltado para crianças) e não andragógico, o que acaba tornando ineficiente o aprendizado em muitos casos.

Se há uma técnica para ensinar adultos, porque insistir em usar modelos que os ensine como as crianças? Está a hora de pensar nisso, se o objetivo é atingir resultados. 😉

 

By Redatora Ellune

Inovação – dicas para estimular a criatividade

Inovação é sinônimo de criatividade, mas muitas vezes ela é destruída todos os dias por processos rotineiros incorretos. Para inovar é preciso se inspirar e criar coisas novas, mas não dá para esperar a inspiração vir para produzir. É preciso estimula-la e isso acontece diariamente.

Mas antes de falar o que é ideal fazer ou não para melhorar a inovação e criatividade, vamos entender primeiro qual é o significado dessa palavra tão usada ultimamente?

Inovação significa criar algo novo. Vem do latim innovatio, que significa ideia ou método criado que se difere aos feitos e padronizados anteriormente. Atualmente se refere ao mundo das ideias e invenções, e pode ser separada em tipos: inovação de marketing; organizacional; do processo e do produto (mais especificamente tecnológica).

Para inovar constantemente, é fundamental enxergar o mundo com criatividade, não esperar reuniões específicas para isso. Para que isso aconteça de forma efetiva, alguns passos são fundamentais.

Para melhorar a concentração, faça meditação. De acordo com estudos,  meditar diariamente por até 30 minutos ajuda a se concentrar melhor. Ao contrário do que pensam, a meditação não é um processo tão complexo quanto parece. É importante ficar em um lugar silencioso, em uma posição confortável, fechar os olhos, controlar a respiração e focar em cada parte do corpo dos pés à cabeça, para evitar pensamentos aleatórios. Músicas para acabar com o estresse e ansiedade ajudam muito. Em contrapartida, evite ficar acordado até tarde, o sono é necessário para compreensão e capacidade de aprendizado.

Além disso, ao invés de ficar esperando por inspiração e surtos de criatividade, seja uma esponja, ou seja, procure novas experiências e absorva informações ao seu redor, como novos pontos de vista. Isso vai te ajudar a acreditar em si mesmo, ter mais confiança e manter a mente aberta para novas ideias.

O que pode te ajudar, também, a inovar é pensar nos grandes. Pergunte a si mesmo: o que pessoas inteligentes estão fazendo e o que posso aprender com elas? Evite ser uma ovelha que faz as coisas porque estão fazendo, absorva, aprenda e adeque para você. Isso é inovação!

Substitua o “isso nunca vai funcionar” por “sim”. Pensamentos positivos atraem atitudes positivas, ajudam a ampliar a mente e a se desprender de ideias antigas. Para isso é essencial quebrar barreiras e se afastar das regras. Comece a questionar e buscar novas soluções, isso vai estimular ainda mais sua criatividade e capacidade de inovação.

Você acha que só a mente precisa trabalhar para funcionar melhor? Não, o corpo também tem que se mexer. De acordo com estudos, após uma pequena caminhada, pensamentos criativos e produtivos aumentam em 60%! Incrível, não é?

Então deixe a preguiça de lado, se liberte das amarras, abra a mente e esteja preparado a qualquer momento para criar e inovar.

Está preparado? Adaptação, ação, inovação! 😉

By Redatora Ellune

Estresse: 5 maneiras de controlar

O estresse é um dos males da atualidade, estima-se que 3,5% do PIB brasileiro é perdido com causas relacionadas ao estresse no trabalho. Quando o assunto é esgotamento profissional, os brasileiros estão entre os mais estressados do mundo, 70% estão sob situação de estresse, de acordo com a International Stress Management Association.

Isso se dá pelo aumento da competitividade do mercado e pela busca cada vez maior de profissionais extremamente qualificados. Com o avanço tecnológico, é possível ter acesso ao trabalho em qualquer lugar, 24 horas por dia, então não há mais desculpas para não se dedicar. Na busca de melhores resultados para combater a concorrência, as empresas exigem cada vez mais dos colaboradores, que acabam trabalhando mais e têm menos tempo livre para atividades relaxantes. É muita pressão em cima de todos os setores da empresa. Sabe como é?

Esse excesso de estresse pode causar doenças sérias como hipertensão, gastrite, insônia, depressão, síndrome do pânico e doenças cardiovasculares, por exemplo. Por isso, é fundamental relaxar por bem, antes que seja por mal.
Separamos 5 maneiras de controlar o estresse:

 #1 IDENTIFICAR A FONTE DO ESTRESSE

Às vezes, estamos estressados e nem sabemos o porquê. Você precisa descobrir de onde está vindo isso. Descubra a fonte do seu estresse e evite. Se não for possível, encontre maneiras saudáveis de lidar com a situação ou pessoa que te estressam, de forma que isso não afete sua saúde física, muito menos mental.

#2 NÃO PROCRASTINAR

Não deixar para depois o que pode ser feito agora evita acumulo de tarefas, e, automaticamente, evita estresse lá na frente. Normalmente, procrastinamos as tarefas que temos mais dificuldade e/ou vão nos demandar mais energia. Fique atento! Se organizar ajuda a manter o controle da situação e diminui as chances de contratempos e desgaste.

#3 EXTRAVASAR AS EMOÇÕES

Coloque pra fora, libere a carga emocional acumulada dentro de você! Chore quando achar necessário, pratique atividades físicas que liberem adrenalina. Encontre maneiras de extravasar, para não acumular nada. Claro, sem liberar em cima dos outros. Na verdade extravasar com frequência evita que você chegue no limite e desconte em alguém seu misto de emoções.

#4 ABAIXAR O RITMO

Entenda qual é o seu ritmo e o respeite. Ao almoçar, aproveite a refeição, por exemplo. Respire fundo, olhe a sua volta. Desacelerar o pensamento ajuda a acalmar a mente e evita o estresse. Além disso, quando se perceber muito estressado, para e beba um copo de água. Vai te ajudar a se acalmar.


#5 EVITAR ATRASOS

Ao evitar atrasos você, automaticamente, evita desconforto futuro. Perder hora, significa acumulo de tarefas, correria, nervosismo e estresse. Obviamente imprevistos acontecem, mas se atente para evitar ao máximo. Um bom planejamento costuma evitar esse tipo de surpresa.

Siga essas dicas valiosas e controle o estresse, antes que ele controle você! Preparado?

1 2 3
Inovação: como ela transformou as empresas e a gestão de pessoas
Organização no trabalho: o que ela pode dizer sobre você?
Andragogia: o que é e como ela pode ajudar sua empresa
Inovação – dicas para estimular a criatividade
Estresse: 5 maneiras de controlar