By Redatora Ellune

RELACIONAMENTO NO TRABALHO: COMO LIDAR?

 

Será que dá certo trabalhar com seu parceiro/parceira? Se você está ou já esteve em um relacionamento, alguma vez deve ter se perguntado como seria ter uma sociedade com seu companheiro. Acertei? Isso acontece pelo grau de confiança que você tem nele e como vocês se dão bem. Mas a probabilidade de um negócio com seu companheiro dar certo ou não é a mesma de dar certo ou não com uma pessoa desconhecida. Sabe por quê? Em ambos os casos, estamos falando de pessoas diferentes, com desejos e sonhos diferentes. Ou seja, nas duas situações é preciso que exista, logo no começo da sociedade, um alinhamento muito bom do porquê elas estão se unindo em um negócio.

 

Se você e seu parceiro tem um propósito em comum e transferem isso para a empresa, a sociedade pode ser muito boa. Uma das vantagens é exatamente o alto nível de confiança que você deposita na pessoa, o que, às vezes, não acontece quando seu sócio é apenas um conhecido. Se os papéis forem bem definidos, cada um sabendo qual sua função na sociedade, tudo pode fluir bem!

 

O que costuma não funcionar é o parceiro se tornar sócio apenas por uma conveniência, por exemplo, porque está desempregado. Se não for a área em que ele atua e ele não ter o desejo de estar nessa sociedade, o desempenho dele vai ser muito menor do que a empresa precisa, porque ele estará desmotivado.

 

O problema, na maioria das vezes, é a confusão entre relação profissional e a pessoal. Quando isso não está bem definido, tomadas de decisões no trabalho, por exemplo, podem ser afetadas pelo o que está acontecendo na casa do casal. Ou então, os problemas em casa começam por conta do que ficou mal resolvido no ambiente de trabalho.

 

É essencial que tenha uma separação entre o que é trabalho e o que é relacionamento. Quando seu parceiro é seu marido/esposa e quando ele é seu sócio? Aqui vão 3 dicas importantes:

1- Os propósitos individuais devem estar relacionados com o propósito da empresa. Lembre-se que isso significa que é preciso ter o reflexo dos sonhos e desejos dos dois individualmente, e não do casal.

2 – É preciso delimitar o que é o horário de trabalho e o que é horário pessoal. Você pode criar algum tipo de código com seu companheiro, por exemplo: falar sobre trabalho apenas no escritório ou resolver questões do tipo até as 18h. Isso mantém o equilíbrio da relação.

 

3- O respeito pelo profissional é diferente do respeito pelo seu companheiro. Numa empresa, você pode ter diferenças no relacionamento, mas saiba o que essa pessoa tem profissionalmente para acrescentar na sociedade. Tenha respeito e admiração tanto pelo seu parceiro, quanto pelo profissional que tem por trás e saiba quando você está olhando para um e quando para outro.

 

Que tal tentar colocar em prática essas dicas? Você vai ver que uma sociedade com seu parceiro/parceira pode sim dar certo 🙂

 

By Redatora Ellune

ENEAMOR – TIPOS NO RELACIONAMENTO

Quando você entende como funciona seu lado emocional, seu relacionamento fica muito mais fácil. Isso porque você tem um autoconhecimento e um autocontrole maior, o que às vezes falta em uma relação. Saber qual é seu Tipo do Eneagrama e também o do seu parceiro, ajuda a saber o que vocês podem esperar um do outro. Ainda que os Tipos sejam baseados nas crenças e nas motivações de cada pessoa, há uma tendência de comportamento de cada um deles.

 

O Eneagrama te ajuda nesse processo de descoberta do que você precisa desenvolver e do que você pode controlar! Nos relacionamentos, os 9 Tipos se comportam mais o menos da seguinte maneira:   

 

TIPO 9

Esse Tipo sempre busca a harmonia entre o casal e por isso é a pessoa que costuma ceder e a não opinar muito na relação. É muito difícil ter uma decisão tomada pelo Tipo 9. Muitas vezes, esse Tipo acaba tornando-se muito parecido com seu companheiro, por querer sempre fazer a vontade do outro.

 

TIPO 8

O Tipo 8 é aquele que entra em um relacionamento para decidir tudo. Por essa tendência a dominar o companheiro, esse Tipo se mostra forte e, muitas vezes, insensível. É complicado para o Tipo 8 mostrar sua fragilidade, por isso, seu companheiro pode ter dificuldade em saber o quanto é amado. Em uma briga, por exemplo, a última palavra sempre é a dele.

 

TIPO 1

É aquela pessoa que busca alguém perfeito e idealizado. Esse alguém precisa acreditar nas mesmas regras, princípios e valores que o Tipo 1. A questão da integridade é muito forte para esse Tipo e as regras são muito importantes. Se alguém quebra a confiança dele, é muito difícil reconquistá-la.

 

TIPO 2

Esse Tipo demonstra seu amor fazendo de tudo para agradar e antecipar as necessidades do companheiro. Ele acaba ficando com as próprias necessidades em segundo plano e por isso, é difícil saber o que fazer para agradá-lo. Alguns problemas podem acontecer pelo excesso desse agrado do Tipo 2. Isso porque ele sempre espera que os outros façam por ele, o que ele faz pelos outros.

 

TIPO 3

O Tipo 3 gosta de ter um relacionamento de sucesso e de que as outras pessoas saibam de como ele é feliz. Normalmente ele se relaciona dando presentes e levando o companheiro em lugares onde ele possa se destacar. É aquela pessoa que tem muita facilidade em focar nas suas metas e consegue se ligar e desligar facilmente de problemas que estão afetando o resultado dessas metas.

 

TIPO 4

Um relacionamento de cinema, com bastante drama é o que busca uma pessoa do Tipo 4. Para ser o companheiro desse Tipo é preciso ter se sacrificado muito. O relacionamento dele é uma história de amor única, diferente de tudo. Esse Tipo demanda muita atenção e energia do parceiro já que todo os eventos da vida precisam ser especiais. Ele faz com que tudo seja único e especial para o companheiro, mas quando isso não acontece de volta, ele não se sente amado ou importante para a pessoa.

 

TIPO 5

Esse Tipo tem dificuldade de entrar em contato com os próprios sentimentos. Geralmente, ele busca um ganho intelectual em um relacionamento, por isso se encanta com a inteligência das pessoas. A grande dificuldade desse Tipo é que ele não expressa o que sente. Eles são mais reservados e preferem programa a dois. O Tipo 5 tem um nível de energia dosado para o que ele tem que fazer.

 

TIPO 6

Esse Tipo é a pessoa desconfiada. Só entra em um relacionamento quando ele duvidar menos (ele nunca vai ter certeza) de que pode ser bom para ele. Em um relacionamento, ele se torna extremamente leal e a previsão acaba sendo feita para evitar o sofrimento do casal. Para este Tipo, a entidade de família é muito importante.

 

TIPO 7

Para este Tipo, todo início de relacionamento é maravilhoso, porque ele se apaixona por tudo que é novo. O Tipo 7 foge da dor e evita qualquer desprazer. Por isso, manter um relacionamento é sempre um desafio. Quando um relacionamento acaba entrando na rotina, ele tem a tendência de se afastar e evitar conversas diretas e difíceis. A liberdade é extremamente importante para este Tipo. Mesmo quando ele escolhe estar com alguém é complicado pois isso significa que ele não estará em outros relacionamentos. E isso não tem a ver com promiscuidade, mas sim com a liberdade.

 

E aí, reconheceu seu parceiro em qual dos Tipos? Entendendo um pouquinho de como ele funciona, o que você pode fazer para melhorar a relação?

By Redatora Ellune

COMO ESTRUTURAR SEU NEGOCIO PARA O DIA DOS NAMORADOS

Dia dos namorados está aí e você já pensou em como estruturar seu negócio para este dia? Datas comemorativas podem ser um bom jeito de alavancar vendas, seja para negócios direta ou indiretamente afetados pela comemoração. Mas antes, é preciso pensar em alguns aspectos.

Um deles é se seu negócio é diretamente afetado pelo dia dos namorados. Por exemplo, se sua empresa oferece produtos que servem para presentear alguém, você pode pensar em algumas promoções. A criatividade é um ponto muito importante! É preciso oferecer seu produto/serviço de uma forma diferente do que seu cliente já está acostumado. E claro, essa oferta deve ser coerente com a data comemorativa. Lembre-se que essa campanha precisa ser pensada tendo em vista o estoque da sua loja, afinal, não adianta ter demanda e não ter o produto.

Antes de decretar que seu negócio não tem nada a ganhar com uma data comemorativa, pense bem. Será que seus clientes são afetados, por exemplo, com o dia dos namorados? Será que você não pode pensar em produtos e serviços que façam diferença neste dia para seus clientes? E se você pensar em promoções para empresas que tem esse aumento de vendas por conta de uma data especial?

O primeiro passo para estruturar seu negócio é entender o seu negócio. Olhe para seu histórico de faturamento e tente ver picos durante o ano. Você consegue identificar algum produto/serviço que se sobressai? Aproveite deste item! Ainda por meio deste histórico, você consegue fazer uma projeção do quanto as vendas podem aumentar, o que facilita, inclusive o cálculo de estoque.

Outro ponto interessante que pode ser aproveitado do que já foi feito são as campanhas. Quais promoções deram certo? O que faltou para alavancar as vendas? Aproveite o que deu certo e as adapte pensando no seu cliente atual.

Ah! O seu cliente atual! Entender os hábitos de consumo dele é absolutamente importante. Esses hábitos mudam com o tempo, por isso é preciso sempre manter esse estudo atualizado. O que ele prioriza? O que ele procura? Qual a necessidade dele? Saber tudo isso é essencial para pensar em promoções para alavancar suas vendas. É uma maneira de dar o tiro no alvo certo. Ainda assim, não elimine o que já deu certo com seus clientes no passado… Saiba unir as boas referências do passado e do presente da sua empresa.

Caso sua empresa atenda essas empresas que são impactadas por datas comemorativas, é preciso que você conheça não só seu cliente, mas também o público dele. Isso para que seu negócio consiga oferecer serviços diferenciados para ajudar a alavancar as vendas do seu cliente.

Seja direta ou indiretamente, há muitas possibilidades de ganho em datas comemorativas. Ainda que o país esteja em uma crise econômica, em dias especiais como o Dia dos Namorados, as pessoas continuam consumindo. Menos, porém, ainda assim, consomem. Por isso, tente aproveitar essa data 😉 Pode ser um bom meio de aumentar o faturamento deste mês.

Como estão as coisas por aí? Quais suas estratégias? Já está tudo estruturado?

By Redatora Ellune

Como alcançar uma sociedade lucrativa

Se você tem uma empresa ou pensa em abrir uma, já deve ter cogitado, em algum momento, ter um sócio. E aí os pensamentos vão muito longe… “Mas quem seria ideal para ser meu sócio? O Mateus é meu amigo de infância, me conhece melhor que ninguém. Ah, mas tem a Júlia, ela entende muito de marketing. E o Roberto? Poderia dar certo…”. Por todas as possíveis consequências, esta escolha se torna muito difícil. Assim, é preciso pensar e analisar alguns pontos.

Pense numa sociedade como um casamento de sucesso. O motivo da escolha por uma pessoa ao invés de outra precisa ser, necessariamente, pelos princípios e valores que ela carrega. Eles precisam ser os mesmos que o seu. Isso porque vocês precisam querer chegar ao mesmo lugar, ou seja, focar em um objetivo e seguir em uma mesma direção. O erro, muitas vezes, é escolher um sócio (ou um esposa/esposa) apenas por afinidade de comportamento. No caso do Mateus, seu amigo de infância e que te conhece bem, o propósito dele em ter uma empresa seria o mesmo que o seu? Lembre-se que tanto uma empresa quanto um casamento vão muito além do que apenas a convivência do cotidiano.

Quando nem você nem seu sócio sabem qual o propósito da empresa, essa diferença de pensamentos só vai aparecer diante de um problema. Por isso, se ainda não há essa clareza na missão do negócio que você abriu, sente com seu sócio e repense. Isso tem que ir muito além do propósito de vida pessoal de cada uma das partes, precisa ser compartilhado para ser a missão do negócio de vocês.

Outro ponto que merece atenção nesse processo de escolha é ter uma sociedade com pessoas com personalidades muito parecidas. Ué, como assim, Alê? Pare pra pensar na nossa tendência em conviver apenas com quem se parece com a gente. Normalmente é mais difícil trabalhar com quem se posiciona diferente em alguma situação ou que faz coisas diferente de nós. Pessoas muito parecidas em uma sociedade não geram equilíbrio. Em tudo o que você é bom, seu sócio também é. Aquilo que você não domina, ele também não. Você faz um trabalho de um jeito e ele do mesmo modo. Percebe? Alguma área da empresa vai sentir essa falta de equilíbrio. Por isso, pessoas com comportamentos diferentes (e propósitos iguais) podem ser boas opções.

As competências do seu sócio devem ser avaliadas antes de uma oferta de sociedade. Pense, por exemplo, se a Júlia, que, assim como você, sabe muito sobre marketing, seria responsável também pelo financeiro. Analise o que seu sócio traria para o seu negócio, tanto em termos de competência e comportamento, quanto em parcerias e networking.

Depois dessa análise de quem pode ser seu sócio, precisa ser muito bem definido o papel e as responsabilidades de cada um de vocês na empresa. Isso facilita na hora de visualizar um problema e entender quem é o responsável por resolvê-lo. Coopera também com a boa convivência, uma vez que nenhuma das partes precisa ter receio de cobrar algo. Se seu papel na sociedade é administrar uma loja de roupas, por exemplo, e o Roberto é a parte responsável pelo atendimento aos clientes, não será ele quem vai resolver um problema com as contas do local. O papel dele pede que ele seja receptivo, atenda bem ao cliente e consiga vender.

No meio de toda essa sociedade e todos os problemas que surgem durante o dia a dia, ainda tem o principal: o dinheiro. É aí, muitas vezes, que os problemas aparecem. Por isso, a divisão de lucros é um dos principais pontos a serem esclarecidos. É uma empresa que está começando agora? Será uma divisão igualitária? Ou é um negócio já estruturado, com alguns clientes, etc.? Como será a porcentagem de ganho? Qual a perspectiva de ganho com a sociedade?  Tudo isso precisa ser estabelecido e resolvido de maneira justa e confortável para ambas as partes.

Sendo o Mateus, a Júlia ou o Roberto, o imprescindível é que tudo seja bem definido, tanto as funções e a divisão de lucros, quanto o propósito. Só assim, uma sociedade pode ter sucesso! Está pronto para pegar este caminho?

By Redatora Ellune

3 dicas para estruturar seu negócio

Se você já pensou em ter seu próprio negócio e tentou colocar na ponta do lápis, já deve ter percebido que estruturá-lo não é nada simples. O planejamento que antecede a concretização de um negócio é essencial, mas pouca gente sabe que, o negócio é fundamentalmente o empreendedor.

Antes de abrir uma empresa, é necessário que se tenha um alto grau de autoconhecimento. Isso porque as decisões de negócio serão muito parecidas com as decisões pessoais. O empreendedor precisa ter o conhecimento de suas características pessoais e saber até que ponto ele é capaz de ir. Separamos três passos essenciais para começar a estruturar seu negócio. Será que você pulou algum desses passos?

 

Alinhando propósitos

É importante ter um alinhamento entre o seu propósito de vida e o propósito do seu negócio. Se você vai abrir uma empresa, precisa ter a  clareza do porquê está fazendo isso, do porquê dela estar nascendo, qual a razão de existência. Isso está entrelaçado com a sua própria missão. Saiba que esse alinhamento facilita o equilíbrio dos processos internos da empresa e evita muita dor de cabeça.

 

Entendendo seu público

Do que adianta uma boa ideia se ela não atinge quem vai gostar dela? Antes de “ir fazendo”, você precisa gastar um tempinho estudando seu público. Saiba qual a necessidade do seu cliente e se sua ideia atende os interesses dele. Para isso, o melhor caminho é falar diretamente com essas pessoas: o que eles dizem? o que eles pensam? o que eles gostariam?

Esse tipo de estratégia é mais fácil do que criar uma demanda que ainda não existe. Conhecendo o que seu público deseja/precisa você pode voltar na sua ideia inicial e lapidá-la, para que ela já seja inserida no mercado atendendo as necessidades do seus clientes.

 

Antes de sair do papel

Parece antiquado, mas estruturar seu negócio no papel é um ótimo método de planejamento e isso aumenta a chance de sucesso. Ao contrário do que pensamos, planejar vai além de “como será meu negócio”. Um bom planejamento antecipa alguma necessidade e até um tipo de correção que o negócio possa precisar mais para frente.

Como já indicamos, o Canvas é uma ferramente que te ajudar a enxergar os nove pontos fundamentais de um modelo de negócio. É possível olhar os campos da sua empresa e como eles se relacionam, o que diminui o risco de erro. Com o Canvas você consegue criar e até mesmo inovar seu negócio, antes mesmo dele sair do papel. Clique aqui e aprenda a fazer o seu!

Deu para dar uma clareada nas ideias empreendedoras por aí?

 

1 2 3 4
RELACIONAMENTO NO TRABALHO: COMO LIDAR?
ENEAMOR – TIPOS NO RELACIONAMENTO
COMO ESTRUTURAR SEU NEGOCIO PARA O DIA DOS NAMORADOS
Como alcançar uma sociedade lucrativa
3 dicas para estruturar seu negócio