By Redatora Ellune

Tipo de líder: você sabe qual é o seu?

Todo mundo sonha em ser um tipo de líder bem sucedido, mas muitos são apenas chefes que não sabem entender a si mesmos e aos próprios funcionários. Todo comportamento que você adquire vem de conhecimento, prática, disciplina e repetição. Tornar-se um líder não é diferente! É preciso ter prática para liderar!

Um líder é antes de tudo, um ser humano, por isso o autoconhecimento é um passo muito importante nesse processo, tendo em vista que você só consegue mudar um comportamento, depois de entendê-lo. O autoconhecimento te faz compreender como você funciona e em quais situações alguns comportamentos são mais adequados e em quais eles precisam ser ajustados para que você atinja os resultados esperados de maneira mais eficaz.

Ao se conhecer, você sabe como funcionam seus comportamentos e consegue identificar pessoas parecidas e diferentes de você. Ao identificar essas características, é possível, por exemplo, antecipar comportamentos que poderiam gerar algum tipo de problema. Todos passam a ser vistos como pessoas, ou seja, com pensamentos, sentimentos e emoções diferentes.

Entender que tipo de líder você é torna seu ambiente de trabalho mais humanizado, uma vez que você passa a entender suas necessidades e motivações, e também as dos seus funcionários.

Baseando-se na metodologia do Eneagrama, conheça os nove tipos de líderes:

Tipo 8 – Poder: Tem necessidade de se mostrar forte para o mundo, gosta de manter o controle, é sempre assertivo e autoconfiante.

Ponto positivo: faz acontecer

Ponto negativo: despreza fraqueza

Ex: Bernardinho

Tipo 9 – Paz: Busca harmonia, paz e a inclusão. Na maioria das vezes não diz o que pensa, por isso, acaba esquecendo suas prioridades.

Ponto positivo: conciliador

Ponto negativo: inseguro

Ex: Ronaldo Fenômeno

Tipo 1 – Perfeição: Tem necessidade de corrigir tudo que está errado e lidera pelo exemplo. São pessoas organizadas e práticas, chegando até a serem impacientes e controladoras.

Ponto positivo: qualidade

Ponto negativo: crítico

Ex: Sandy

Tipo 2 – Presteza: Prestativos e empáticos, têm necessidade de se tornarem imprescindíveis para o outro. Por terem dificuldade em dizer não, acabam se atrasando em suas próprias tarefas.

Ponto positivo: motivador

Ponto negativo: indireto

Ex: Madre Teresa de Calcutá

Tipo 3 – Performance: É realizador, tem necessidade de atingir metas para garantir o sucesso e gosta de competição.

Ponto positivo: estratégico

Ponto negativo: competitivo ao extremo

Ex: Jorge Paulo Lemann

Tipo 4 – Profundidade: Precisa se sentir diferente e especial, é temperamental e gosta de expressar sua autenticidade.

Ponto positivo: idealizador

Ponto negativo: temperamental

Ex: Steve Jobs

Tipo 5 – Privacidade: É mais reservado, gosta de se preservar e preservar seus recursos. É crítico necessita que tudo tenha planejamento.

Ponto positivo: planejador

Ponto negativo: excessivamente independente

Ex: Mark Zuckerberg

Tipo 6 – Precaução: São precavidos, precisam pensar no futuro e se preparar para todas as coisas ruins que podem acontecer, por isso gostam de ter um plano A, B e também um C. É cooperativo, mas sempre está desconfiado.

Ponto positivo: avalia riscos

Ponto negativo: ansioso

Ex: Felipão

Tipo 7 – Prazer: É otimista, gosta de pensar no futuro em todas as coisas boas que podem acontecer. São cheios de novas ideias.

Ponto positivo: criativo

Ponto negativo: dificuldade com rotina

Ex: Ivete Sangalo


Se identificou com algum tipo de líder? Um deles é tendência de liderança para o futuro, sabe qual? O seu! Liderança Servidora, Liderança Educadora, Liderança Situacional, cada ano traz uma “moda nova” e as organizações fazem um esforço imenso para treinar seus líderes nesse novo conceito. A  “moda nova” que vemos pela frente é você ser a sua melhor versão, trabalhando com os talentos que seu tipo te possibilita.

Um estilo único de liderança não funciona para todas as pessoas ou para todas as empresas. Ao invés de você tentar se encaixar num perfil de liderança, porque você não entende seu jeito e modela seu modo de liderança?

Ainda está na dúvida sobre qual é o seu tipo? Já sabe por onde começar!

 

By Redatora Ellune

Como as mulheres deixaram de ser donas de casa e passaram a ser donas de empresa

Para muitos, mulher e empreendedorismo são antônimos, mas será que o gênero ainda é visto como um obstáculo no âmbito profissional? Segundo uma pesquisa realizada pela consultoria EY G20 Entrepreneurship Barometer em 2013, o Brasil tem a maior representação de empreendedorismo feminino no grupo de países do G-20, com 10,4 milhões de mulheres empreendedoras. Atualmente, de acordo com a revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, as mulheres correspondem 43,8% do mercado de trabalho e 37% cargos de direção em empresas de pequeno poete. Quem foi que disse que elas não podem? Ou que merecem menos?

A faceta de assumir várias funções, muitas vezes mais do que os homens, pode estar relacionada ao fato de que as mulheres exercem múltiplos papéis ao longo da vida, que lhes são atribuídos social e historicamente com uma grande carga de responsabilidade, como a maternidade, por exemplo.

Mesmo com essa pressão externa de que ser mulher é, automaticamente, ser capaz de conciliar e produzir várias coisas ao mesmo tempo, com cuidado e responsabilidade, é preciso entender que o mundo evoluiu e com ele as prioridades. Os seres humanos são diferentes e não podemos nos esquecer disso.

Jovens mulheres que pretendem engrenar numa carreira empreendedora precisam, antes de tudo, se desvencilhar desses rótulos. Elas não podem se sentir culpadas por escolher uma carreira que demanda dedicação com tempo concorrente aos cuidados dá casa, por exemplo.

É justamente esse desprendimento de papeis preconcebidos que as auxilia a conquistar espaço no mercado. Por mais que os dados mostrem que elas ainda representam a minoria no país, são números relevantes de conquista e avanço, considerando que a evolução feminina tem apenas 120 anos de história. Ver mulheres liderando empresas dessa forma é revolucionário!

Obviamente, como a inserção da mulher na sociedade ainda é prematura, apesar de muitas vitórias, ainda há muitos outros obstáculos. Seria uma utopia dizer que é uma questão de meritocracia. A luta pela igualdade é a busca pela irrelevância dos gêneros no dia a dia, porque ambos são iguais, mesmo com suas particularidades físicas e psíquicas, mas o maior desejo é que um dia sejam tratados com a mesma igualdade na sociedade como um todo. Infelizmente ainda não chegamos lá, mas esse é o objetivo. Afinal, o lugar da mulher é aonde ela quiser estar. 🙂
Viva as mulheres!

By Redatora Ellune

Férias: dicas para planejar a ausência de um líder

Líder de férias. E agora?

A hora vai chegar. Líderes (Supervisores, Coordenadores, Gerentes) tiram férias. E todo mundo deve estar preparado para o caos não ser instaurado. É possível! O planejamento é necessário, assim como o treino de um sucessor. Quando uma carreira está sendo trilhada, isso é muito comum. As pessoas crescem dentro das empresas a partir de alguém que os ensina e que é treinado para assumir o seu lugar em algum momento. Se eu não preparo ninguém, nunca consigo sair de onde estou. Nem para uma promoção, nem para férias de descanso. Separamos algumas dicas que podem te ajudar bastante nesta tão temida hora…

#Dica 1 – Crie um planejamento antes de sair!

Você tem que ter um planejamento para sair de férias. Seja você quem vai tirar férias ou quem vai aprovar as férias para um líder. É necessário pensar e planejar tudo o que vai ser feito e como vai ser feito.

#Dica 2 – Eleja um substituto!

Se você é o líder que vai tirar férias, você precisa ter alguém para te substituir – pode ser alguém da equipe, um novo líder, um par ou até mesmo seu chefe. Precisa ser alguém que fique no seu lugar, responsável pelas suas atividades e responsabilidades. Você deve treinar e orientar esta pessoa. E não se esqueça de criar uma dinâmica para saber tudo o que foi feito na sua ausência. Assim, você volta por dentro.

#Dica 3 – Prepare o seu substituo!

Na hora de preparar alguém, tenha muito cuidado e ”ensine” tudo com muito carinho. Afinal, é o bom andamento da sua equipe que está em jogo. Antes de sair de férias, delegue tarefas e acompanhe a execução para entender quais outros apoios serão necessários para que seu substituto esteja pronto na sua ausência. Como já diriam alguns inteligentes por aí, ninguém é insubstituível e sim, treinado.

#Dica 4 – Entenda se um novo líder é necessário ou não!

Você precisa parar para pensar sobre o nível de maturidade da sua equipe. Se ela for mais madura, souber caminhar um pouco mais sozinha e trabalhar de maneira produtiva, talvez não seja necessário que um novo líder seja designado.

Agora, se a equipe não é tão madura e precisa de um pouco mais da gestão, talvez seja uma boa ideia nomear um novo líder. É importante que essa pessoa seja empoderada como líder neste período. A equipe deve ser avisada. Neste momento, essa nova figura é quem vai responder pela pessoa que está de férias.

#Dica 5 – Prepare a equipe!

Vamos deixar claro as responsabilidades, atividades, entregas e prazos de cada um. É importante que fique claro quem vai assumir qual projeto e quem vai responder por qual atividade. Além disso, o cuidado para que duas pessoas não se ausentem ao mesmo tempo, deve existir (se isso for impactar o trabalho, é claro).

#Dica 6 – Crie sistemas visuais de gestão de tarefas!

Normalmente, isso funciona muito bem. É possível criar quadros visíveis para toda a equipe e assim, todos sabem o que está sendo feito, por quem está sendo feito e como está o andamento daquela tarefa. Dessa forma, a equipe consegue ter um bom nível de planejamento e comunicação.

#Dica 7 – Crie um canal de comunicação eficaz com a gerencia!

É importante que a equipe se sinta livre para procurar os níveis superiores caso tenha algum problema. E, mesmo sem problemas, a gerencia deve se mostrar presente e aberta para sugestões e considerações. Neste período de ausência do líder, todos se sentem um pouco desamparados e isso pode ajudar a reduzir essa sensação.

Coloque as 7 dicas em prática e nos conte como foi o resultado. Com certeza, realizando tudo isso, as férias de todo mundo serão mais tranquilas.

Boa sorte!

By Redatora Ellune

Eneagrama: tudo sobre os caminhos de desenvolvimento

Pode falar que às vezes você fica confuso aí com tantos módulos do Eneagrama, né? Pra que tantos? Qual a diferença de um para outro? Agora que eu fiz o módulo I, qual é o próximo passo? Isso tudo passa na cabeça de quem começa a se envolver com o Eneagrama! Por isso, resolvemos simplificar tudo por aqui 😉 A primeira coisa que você precisa saber é que a concepção do Eneagrama é um caminho o qual você mesmo traça! São diversas as trilhas, mas é você quem escolhe o que é melhor para você e o que faz mais sentido no dado momento que você está da sua vida.

Há módulos mais conceituais que se aprofundam mais dentro do Eneagrama e são voltados para o autoconhecimento e para entender o funcionamento, na essência, de cada um, enquanto existem outros módulos mais práticos, a respeito da aplicação do Eneagrama. A Ellune tem montado e oferecido uma trilha de acordo com o que o público solicita, o que é um reflexo do que essas pessoas sentem mais necessidade, mas claro, existe uma lógica e um nível de complexidade que vai aumentando a cada  módulo.

O pré-requisito para qualquer um desses módulos é apenas o primeiro, ou seja, o módulo I: um processo de descoberta. A partir disso, é você quem traça seu caminho, visando suas próprias necessidades. Os números dos módulos dizem respeito a ordem em que foram criados, e não a ordem que precisa ser seguida. Todo mundo entra pelo Tipo e dali em diante segue seu caminho, aprofundando no Eneagrama, indo por exemplo, para instintos e subtipos, ou para parte mais prática, como o de relacionamentos.

Vamos lá…


O módulo I é o processo de descoberta. Nele trabalhamos os 9 tipos do Eneagrama, os quais são relacionados às crenças e às motivações por trás do seu comportamento. Às vezes, um mesmo comportamento pode indicar um tipo de personalidade totalmente diferente um do outro, de acordo com a essência de cada um.

No módulo II,  são trabalhados os Instintos. Nesse módulo a gente trabalha os comportamentos mais automáticos que temos no dia a dia, por isso ele é tão importante. Os três instintos que temos são o autopreservação, o social e o sexual. Todos nós temos os três, mas em intensidades diferentes, um é dominante, outro secundário e o último, o reprimido. Vou te dar um exemplo: o instinto de autopreservação diz respeito a preservação da sua própria vida. Quem tem esse instinto dominante tem a tendência de achar que a vida está sempre em perigo, mesmo quando ela não está. É uma sensação constante de que algo pode ou vai acontecer. Quem tem esse instinto reprimido, a pessoa acha que nunca nada de errado vai acontecer. Pode ter um perigo enorme à frente dela, mas essa pessoa não tem energia para utilizar esse instinto, o timing de resposta é mais lento. Quando o instinto é secundário, ele responde adequadamente ao perigo, o que é mais coerente ao ambiente. Deu para entender um pouquinho?

O módulo III já é um módulo mais prático. Nele trabalhamos o autodomínio e o relacionamento interpessoal. Inicialmente desenvolvemos a ideia de que primeiro é necessário estar bem com você mesmo e depois com os outros. Depois, trabalhamos a questão da comunicação e do conflito na relação entre os tipos. É um módulo mais prático porque conseguimos pensar o que e como podemos fazer algumas coisas para termos melhores cuidados e resultados com os outros tipos.

O módulo IV é o Eneakids. Apesar dele ser pratico, ainda é bastante conceitual. O objetivo dele é trabalhar os pais e os professores, a fim de que eles fiquem atentos ao perfil deles e como isso influencia nos pequenos. Para isso, contextualizamos como se da a formação da personalidade dos pequenos, ao mesmo tempo em que mostramos a enorme ligação com o que aconteceu com os adultos quando eles mesmos eram pequenos. Também são feitos alguns exercícios práticos para entendermos o que fazer com as crianças.

O módulo V é o do Subtipos. Também é um módulo mais teórico e profundo. Trabalhamos a junção do seu Tipo e do seu Instinto. Isso porque pessoas com comportamentos parecidos, podem ter comportamentos práticos bem diferentes. Entendendo essa junção, chegamos naquele comportamento mais automático possível, no gatilho de cada tipo, que costumam ser as grandes armadilhas de cada uma das pessoas.

O módulo que está em desenvolvimento é o da liderança. Nele trabalhamos os perfils de liderança e as ferramentas que existem tanto para liderar, quanto para conseguir trabalhar a identificação dos tipos com seus lidereados. Já escrevemos um pouquinho sobre o desenvolvimento da liderança aqui.

E agora, deu para entender um pouquinho das possibilidades de caminhos dentro do Eneagrama? Qual sua próxima trilha? 😉

By Redatora Ellune

Liderança do futuro

Ser líder de uma empresa é o sonho de muita gente, mas chegar num cargo neste nível não é muito fácil, né? Todo comportamento que você adquire vem de conhecimento, de prática e da repetição…Tornar-se um líder não é diferente! É preciso ter prática, ou seja, liderar!

Um líder é antes de tudo, um ser humano! O autoconhecimento é um passo muito importante nesse processo de liderança, tendo em vista que você só consegue mudar um comportamento, depois de entendê-lo. Esse processo de autoconhecimento te faz compreender como você funciona e em quais situações alguns comportamentos são mais adequados e em quais eles precisam ser ajustados para que você atinja os resultados esperados.

Um líder que se conhece e sabe como funcionam seus comportamentos consegue identificar pessoas parecidas e pessoas diferentes dele. Quando você identifica essas diferenças ou semelhanças, é possível, por exemplo, antecipar alguns comportamentos que poderiam gerar um problema. As pessoas passam a ser vistas como pessoas, ou seja, com pensamentos, sentimentos e emoções diferentes. Entender que tipo de líder você é torna seu ambiente de trabalho mais humanizado, uma vez que ele passa a entender as necessidades e as motivações dele próprio e também dos seus funcionários.

Baseando-se na metodologia do Eneagrama, esses são os nove tipos de líderanças:

Tipo 1

Esse tipo de pessoa geralmente lidera pelo exemplo. São pessoas organizadas e práticas, chegando até a serem impacientes e controladoras.

Tipo 2

Líderes desse tipo são prestativos e empáticos, e por terem dificuldade em dizer não, acabam se atrasando em suas próprias tarefas.

Tipo 3

O Tipo 3 é aquele líder realizador, que se organiza para alcançar suas metas e gosta de uma competição.

Tipo 4

Esse tipo de líder é temperamental e gosta de expressar sua autenticidade.

Tipo 5

Um líder 5 é mais reservado. Ele é critico e gosta de que tudo tenha planejamento.

Tipo 6

Esses são líderes precavidos, que gostam de ter um plano A, B e também um C. É cooperativo, mas sempre está desconfiado.

Tipo 7

Um líder 7 é a otimista e sempre cheio de novas ideias. É impulsivo e também dispersivo.

Tipo 8

Esse tipo de líder gosta de manter o controle e é sempre assertivo e autoconfiante. Pode ser mandão.

Tipo 9

Lidera buscando harmonia e a inclusão. Na maioria das vezes não diz o que pensa, por isso, acaba esquecendo suas prioridades.

 

Se identificou com algum tipo de líder? Isto é importante, porque a Liderança do Futuro está descrita dentre estes Tipos. Sabe qual é? O seu! Sim, isto mesmo… o seu tipo de liderança é a tendência. Liderança Servidora, Liderança Educadora, Liderança Situacional, cada ano traz uma “moda nova” e as organizações fazem um esforço imenso para treinar seus líderes neste novo conceito. A  “moda nova” que vemos pela frente é você ser a sua melhor versão, trabalhando com os talentos que seu tipo te possibilita.

Um estilo único de liderança não funciona para todas as pessoas ou para todas as empresas. Ao invés de você tentar se encaixar num perfil de liderança, porque você não entende seu jeito e modela seu modo de liderança?

Não se identificou com nenhum Tipo de Líder? Já sabe por onde começar 😉

Tipo de líder: você sabe qual é o seu?
Como as mulheres deixaram de ser donas de casa e passaram a ser donas de empresa
Férias: dicas para planejar a ausência de um líder
Eneagrama: tudo sobre os caminhos de desenvolvimento
Liderança do futuro