By Alessandra Tavares

Inovação: como inserir esta cultura na sua empresa

 Como saber se a equipe precisa ser inovada? Esse é um dos questionamentos que rondam a mente de muitos gestores ao pensar em inovação como estratégia. A resposta é mais simples do que parece: toda equipe precisa ser inovada! 

Mas calma, inovar não significa trocar a equipe, e sim prepara-la para desafios que hoje não existem no dia a dia dela, mas que podem ser o grande diferencial para ela e a empresa sobreviverem no mercado. É fundamental que a organização tenha algumas áreas preparadas para pensar num futuro, porque ele é incerto e será a realidade da empresa.  

Inovação é, de um modo geral, fazer diferente algo que está sendo feito, fazer algo que ainda não está sendo feito ou deixar de fazer algo porque não faz mais sentido. É ter essa percepção agora, pensando, também, lá na frente. 

É importante que a empresa tenha em mente uma coisa: é preciso incentivar que os erros aconteçam, porque sem erro não há inovação e vice-versa. Não errar significa estar estagnado e, algumas organizações instauram a sensação de medo do erro na equipe. Quando se erra, se aprende. Quando se faz coisas diferentes, o risco é maior, mas a chance de ganhar também é muito maior. 

Dito isso, é possível elencar várias estratégias que podem ajudar nessa tarefa de inovação: 

  • Falar com pessoas de outras áreas, empresas e segmentos: esse intercâmbio de informações dá a chance da empresa ver o problema de outro ângulo. É comum achar que o seu negócio é único, mas a maneira como as outras empresas resolvem problemas dá uma chance imensa de conseguir adaptar isso na sua rotina e resolver os seus problemas de uma maneira que a concorrência não consegue.  
  • Trazer parceiros para desenvolver coisas juntos: essa parceria faz com que, de uma forma colaborativa, sejam criadas visões novas, afinal informação compartilhada gera mais possibilidades de resultado. 
  • Informar-se com a área de qualidade: essa área traz muitas ferramentas que, se usadas para desenvolvimento de novos produtos, serviços e processos, podem ajudar a melhorar sua empresa e incentivar a equipe como um todo a pensar fora da caixa.  
  • Usar métodos e técnicas para trabalhar a criatividade: criatividade é uma competência e, como tal, pode ser desenvolvida. Existem pessoas que possuem mais dificuldade, assim como existem pessoas que têm mais facilidade para liderar ou se comunicar. Porém, qualquer pessoa pode melhorar as competências através de métodos, treinos e repetição. Uma técnica que pode ajudar bastante no desenvolvimento de pensamento criativo é a dos “6 chapéus do pensamento”. Ela funciona da seguinte forma: 


A inovação leva tempo, tentativa e erro, mas é fundamental para a empresa, afinal ela ajuda a resolver a causa do problema, ao invés de desperdiçar tempo e dinheiro corrigindo apenas a consequência. 

Está esperando o quê? Inove-se! 😉  

By Alessandra Tavares

Inovação: como ela transformou as empresas e a gestão de pessoas

Pensando nas mudanças que aconteceram nos últimos tempos, a inovação proporcionou uma grande evolução no modo de trabalhar. Antes havia o processo de agricultura, no qual não era necessária muita gestão nem hierarquização formal, afinal era uma estrutura de trabalho familiar. Eles dependiam do clima e seguiam à risca a premissa de que “manda quem pode, obedece quem tem juízo”.  

Em seguida, aconteceu a Revolução Industrial, a qual fez os trabalhadores rurais abandonarem a agricultura e migrarem para trabalhos nas indústrias da cidade. Com isso, o desafio passou a ser o que fazer para que pessoas de famílias diferentes, motivações diferentes, pudessem trabalhar juntas para produzir. Nesta época, surgiram os sindicatos, para dar ordem e representatividade a esses trabalhadores. Com a revolução industrial, começou a corrida pelo melhor maquinário. Sairia na frente a empresa que tivesse os melhores equipamentos. Quando os concorrentes conseguiram os mesmos equipamentos e os resultados continuavam visivelmente diferentes, percebeu-se que o diferencial era quem os operava. 

A era dos computadores é um outro bom retrato desse cenário da visão de pessoas como diferencial da empresa. Com o tempo, a informação passou a se tornar cada vez mais disponível, o que passou a ditar a competitividade do mercado. Porém, com a era da informação crescendo, houve uma democratização dessa informação, que parou de ser vista como um diferencial.   

A diferença passou a ser, então, o que as pessoas faziam com a informação que possuíam. A atenção se voltou a essas mentes pensantes, ao capital humano cuja produção é maior por menos custo. O colaborador virou, então, o grande alvo e diferencial competitivo das empresas.  

Como a atenção se voltou para as pessoas, o RH teve que se reinventar, afinal, ter e manter os melhores colaboradores passou a ser o diferencial competitivo. E, para este novo desafio, era preciso fazer mais do que seguir as leis. O trabalho tinha que ser encantador, porque as motivações também mudaram com o passar das gerações.  

Antigamente, o nível de obediência era maior. Hoje, cada vez mais aumenta o desejo de que o colaborador vista a camisa da empresa, não que ele só cumpra o contrato, mas que ele se dedique de verdade. Isso está ficando cada dia mais difícil, porque as novas gerações não trabalham mais por estabilidade, elas buscam um propósito. Vendo isso, as empresas entenderam que precisam alinhar o propósito que possuem ao do colaborador, se quiser que ele fique lá por bastante tempo. 

Isso mudou, também, a forma de treinar os colaboradores. Antes os treinamentos eram mais simples e técnicos. Hoje, não basta ter só a melhor mão-de-obra, é preciso faze-la pensar no presente e no futuro. Para que o colaborador fique lá por mais tempo e vista a camisa como desejado, o treinamento passa a trabalhar questões psicológicas e motivacionais, que no passado eram irrelevantes. A ideia, então, não é mais apenas adquirir mais conhecimento e absorver informação, é aplica-la de uma forma diferente que gere mais resultado. É que é feito com essa informação.  

Para todas essas mudanças aconteceram, o RH precisou de inovação! Antes essa era uma área que mal tinha sistema. Mas hoje, como se tornar estratégico sem números? Por isso, vários sistemas foram implementados, pensando do início ao fim do processo de gestão de pessoas. Os sistemas ERPs (Enterprise Resource Planning) ajudam a demonstrar o impacto das ações de RH dentro dos resultados gerados na empresa. 

Com tudo isso, o RH passou a treinar os colaboradores e prepara-los para o futuro da empresa, do qual a única certeza é de que ele terá problemas complexos para serrem resolvidos. Destaca-se, portanto, a empresa que se prepara para conseguir emergir nesse futuro incerto e conseguir pensar em soluções para esses problemas ainda desconhecidos. 

A inovação é mais fácil do que parece… Já é hora!  

By Redatora Ellune

Inovação – dicas para estimular a criatividade

Inovação é sinônimo de criatividade, mas muitas vezes ela é destruída todos os dias por processos rotineiros incorretos. Para inovar é preciso se inspirar e criar coisas novas, mas não dá para esperar a inspiração vir para produzir. É preciso estimula-la e isso acontece diariamente.

Mas antes de falar o que é ideal fazer ou não para melhorar a inovação e criatividade, vamos entender primeiro qual é o significado dessa palavra tão usada ultimamente?

Inovação significa criar algo novo. Vem do latim innovatio, que significa ideia ou método criado que se difere aos feitos e padronizados anteriormente. Atualmente se refere ao mundo das ideias e invenções, e pode ser separada em tipos: inovação de marketing; organizacional; do processo e do produto (mais especificamente tecnológica).

Para inovar constantemente, é fundamental enxergar o mundo com criatividade, não esperar reuniões específicas para isso. Para que isso aconteça de forma efetiva, alguns passos são fundamentais.

Para melhorar a concentração, faça meditação. De acordo com estudos,  meditar diariamente por até 30 minutos ajuda a se concentrar melhor. Ao contrário do que pensam, a meditação não é um processo tão complexo quanto parece. É importante ficar em um lugar silencioso, em uma posição confortável, fechar os olhos, controlar a respiração e focar em cada parte do corpo dos pés à cabeça, para evitar pensamentos aleatórios. Músicas para acabar com o estresse e ansiedade ajudam muito. Em contrapartida, evite ficar acordado até tarde, o sono é necessário para compreensão e capacidade de aprendizado.

Além disso, ao invés de ficar esperando por inspiração e surtos de criatividade, seja uma esponja, ou seja, procure novas experiências e absorva informações ao seu redor, como novos pontos de vista. Isso vai te ajudar a acreditar em si mesmo, ter mais confiança e manter a mente aberta para novas ideias.

O que pode te ajudar, também, a inovar é pensar nos grandes. Pergunte a si mesmo: o que pessoas inteligentes estão fazendo e o que posso aprender com elas? Evite ser uma ovelha que faz as coisas porque estão fazendo, absorva, aprenda e adeque para você. Isso é inovação!

Substitua o “isso nunca vai funcionar” por “sim”. Pensamentos positivos atraem atitudes positivas, ajudam a ampliar a mente e a se desprender de ideias antigas. Para isso é essencial quebrar barreiras e se afastar das regras. Comece a questionar e buscar novas soluções, isso vai estimular ainda mais sua criatividade e capacidade de inovação.

Você acha que só a mente precisa trabalhar para funcionar melhor? Não, o corpo também tem que se mexer. De acordo com estudos, após uma pequena caminhada, pensamentos criativos e produtivos aumentam em 60%! Incrível, não é?

Então deixe a preguiça de lado, se liberte das amarras, abra a mente e esteja preparado a qualquer momento para criar e inovar.

Está preparado? Adaptação, ação, inovação! 😉

Inovação: como inserir esta cultura na sua empresa
Inovação: como ela transformou as empresas e a gestão de pessoas
Inovação – dicas para estimular a criatividade