• 0

By Alessandra Tavares

Comunicação vem do latim communicare, que significa partilhar, a ação de tornar comum. Para que ela aconteça, da maneira tradicional, é preciso de alguns elementos essenciais: emissor, canal, mensagem e receptor. Pensando nisso, pode-se dizer que a comunicação eficiente significa que a mensagem transmitida pelo emissor, através de um canal, é claramente compreendida pelo receptor. Ou seja, no caso da comunicação nas empresas, ela é eficiente, por exemplo, quando o gestor diz algo e o colaborador entende da maneira correta.

Tão simples e difícil ao mesmo tempo. Na prática, a comunicação aparece como um desafio para grande parte das empresas. Um dos motivos pelos quais isso acontece é porque o comunicador não assume a responsabilidade pela sua comunicação. Ele emite a mensagem e não se certifica se o que ele disse foi compreendido da maneira desejada pelo receptor. E, normalmente, se a mensagem não foi compreendida da forma correta, a culpa é do receptor e não do emissor.  

No dia a dia das empresas, o que se vê é o gestor transmitindo uma informação e o colaborador tentando entender sozinho se o que ele ouviu é igual ao que foi dito. E isto pode trazer resultados desastrosos. Uma tarefa muito importante, por exemplo, pode não ser feita ou feita de forma inadequada, trazendo consequências para ele e a empresa.  

Sinais de uma comunicação ineficiente  

Como medir a eficiência da comunicação? O sinal mais comum de que ela está sendo desastrosa é a quantidade de retrabalho que pode haver, ou do colaborador refazer a tarefa ou do gestor reorienta-la. (refazer ou reorientar).  

Como ter uma comunicação eficiente 

Há uma modelagem social na qual as pessoas não dizem quando têm dúvida, isso desde a escola. Porque pessoas assim se sentem desvalorizadas ou incapazes de alguma forma – o que não é verdade, afinal ninguém sabe de tudo o tempo todo. Este quadro faz com que as atividades sejam feitas pelo método de tentativa e erro, o que pode trazer bons ou maus resultados, não dá para saber.  

Isso é muito comum quando o gestor pergunta “Você entendeu, né?”. Perguntas como esta direcionam o colaborador a responder “sim”, tendo ele entendido ou não. Isso não dá a certeza de que a mensagem foi realmente compreendida, logo há grandes chances de a comunicação ter sido ineficiente. 

Para evitar esse tipo de situação, é preciso:  

  • Usar uma linguagem adequada ao público-alvo; 
  • Verbalizar, criar perguntas e situações que façam o receptor dizer o que vai fazer, para que ambos tenham a clareza do que foi explicado e entendido; 
  • Entender qual a maneira de aprendizado melhor funciona para o receptor. Algumas pessoas são visuais, outras mais auditivas e outras sinestésicas. Ao compreender isso, fica mais fácil de transmitir a mensagem de acordo com a maneira que o receptor aprende com mais facilidade. Isso significa, pedir um resumo escrito do que foi dito, conversar sobre o que pedido ou pedir um protótipo do plano de ação, por exemplo.  


A maioria dos problemas corporativos são causados por falha na comunicação, por isso trabalhe para evitar desperdício de tempo, de dinheiro e desgaste mental. Procure entender que uma comunicação é feita por duas pessoas e que cada um interpreta a mensagem de um jeito. Se coloque no lugar de quem escuta. Você entenderia se fosse ele? O que funciona melhor? E por aí vai.  

Compreendendo isso, tudo fica mais fácil e, por fim, eficiente. 😉   

Alessandra Tavares
Alessandra
About Alessandra

Sem comentários

Deixe um comentário

Para enviar seu comentário, por favor preencha corretamente a equação abaixo: *

Comunicação eficiente: será que você está fazendo direito?